O golpe do #freeJonatan

Jonatan Diniz. Anote o nome desse filho da mãe para se lembrar e não cair nessas campanhas, principalmente de internet. Eu, ingenuamente, pensando em colaborar por achar absurdo a prisão pelo simples fato do cara angariar comida para famintos da ditadura da Venezuela, fui na onda desse babaca.

O Brasil se engajou e a tag #freeJonatan chegou aos trending topics mundial do Twitter. Pressão foi feita para o Ministério das Relações Exteriores – Itamaraty – tomar atitudes até extremas contra essa agressão de Nicolas Maduro ao Brasil, de prender um brasileiro e demorar para prestar esclarecimentos.

Depois de tudo isso, de o regime deportar o brasileiro para Miami, o cara grava um vídeo dizendo que planejou ser preso como um plano para salvar crianças morrendo de fome, pedindo para só noticiar “notícias boas”, não chamar de ditadura a ditadura de Maduro, com um papo de energia positiva gera coisas positivas.

Jonatan Diniz não passa de mais um playboy brincando de justiceiro social em país estrangeiro e a raiva que estou desse cara, de ter sido enganado e participado deste circo, é incalculável. Ao menos serviu de aprendizado para não embarcar de primeira em qualquer história de “heroísmo” que aparecer. Agora, se depender de mim, ele ficará preso e o governo brasileiro não mexeria um dedo para resolver a situação. E, já que acha que o caos na Venezuela não é só culpa do governo, ele poderia morar lá ao invés dos EUA.

Anúncios

A turma “Fora, Temer” tira a máscara

Bemvindo Sequeira, Bete Mendes, Bruno Garcia, Chico César, Maria Casadevall, Osmar Prado, Tonico Pereira, Sérgio Mamberti e outros artistas gravaram um vídeo pedindo “Um Brasil justo pra todos e pra Lula”.

A turma do “Fora, Temer” mostra a sua verdeira face, finalmente. A indignação contra o presidente Michel Temer e seu governo foi e é militância partidária-ideológica dessa turma.

Essa turma não engoliu até hoje o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e não era “pela democracia” que militaram contra o afastamento dela. Essa turma foi e sempre será petista até o talo. Mamaram muito na teta da Lei Rouanet, principalmente no período lulopetismo. Enquanto outros ainda mamam mesmo no “governo golpista”.

O Judiciário brasileiro está longe de ser perfeito. A imprensa então, nem se fala. Mas o vídeo desses artistas com culpa social desafiando a justiça brasileira e a imprensa enjoou. Tudo em nome de uma ideologia velha e carcomida, de um partido que nem de longe lembra a esperança que um dia foi e em defesa de um candidato a presidente já condenado em um dos vários processos a qual responde por corrupção.

Populismo e demagogia de Chico, Caetano e Gil

Vive no bem bom, roga o socialismo, mas não faz shows com preços populares e tampouco divide o que tem com os menos abastados.

Mora em um bairro carioca onde mora muita gente fina, mora em um bairro de rico, bairro de classe alta, em uma área nobre do Rio! Só mais um socialista caviar! Não vive o que supostamente defende! Vai para Paris e não Havana.

Esse cara é Francisco Buarque de Hollanda. Ou simplesmente Chico.

Foi um ótimo compositor, mas entrou numa de apoiar político cegamente. Atualmente não tem inspiração para compor como antes, talvez seja o fato de ficar preso ao passado, nos tempos da ditadura. Só voltou a compor um novo algum em 2016 coincidentemente com a saída do PT do governo e do Ministério da Cultura, onde ele e sua trupe artística mandavam (ainda ditam narrativas e controle externo). Hoje é outra realidade. Espero, sinceramente, que reencontre o caminho da música e largue essa paixão ideológica. Acho improvável que aconteça. O ranço ideológico é mais forte, tal qual Caetano.

Mas não adianta tentar explicar isso para as esquerdas e fãs, para eles chega a ser tabu falar mal de Chico, Caetano e Gil, pois é cult, chic, soa ser inteligente e intelectual (para eles) falar que gosta e ouve esse pessoal e qualquer crítica é vista como um insulto a uma divindade.

Recado ao Emicida

Emicida não gostou de uma postagem do MBL, onde a página do movimento zoa o terno Ricardo Almeida de R$ 15 mil comprado por ele, com dinheiro dele e, até onde se sabe, honestamente.

A turma e o próprio Emicida logo sacaram a carta do racismo. A questão não foi o terno de 15mil do Emicida e muito menos sua cor, mas as ideias que ele defende e suas músicas contra a burguesia.

Na real, o Emicida é só mais um socialista de boca que adora as benesses do capitalismo que ele tanto crítica. Já diria Margaret Thatcher: a pessoa só é socialista até acabar o dinheiro dos outros.

Todo socialista não vive sem o que o capitalismo oferta e que no socialismo é impossível. A revolução é impossível de acontecer sem a última versão do iphone da Apple.

Escola não é motel

Muito é falado da (falta de) educação no Brasil. Das escolas precárias. Dos salários de miséria dos professores. Mas a praga atual nas escolas brasileiras são os doutrinadores. E uma das formas de lavagem cerebral é de educação sexual que tentam enfiar goela abaixo.

Primeiro, conceitualmente é um erro inadmissível. Escola é para ensinar escrita e leitura, matemática, geografia, história, física, etc. Sexo é a família que deve saber a hora de ensinar alguma coisa aos filhos.

É a doutrinação ideológica que está impregnada nas escolas (Abraço, Paulo Freire). Professores(as) ativistas treinados por grupos e ONGs de movimentos de esquerda e progressistas. E muitas dessas ONGs são financiadas por partidos políticos e empresários para expansão de suas ideias desde cedo.

A última foi uma professora ensinando o chamado “bola-gato” aos seus alunos em plena cena de sexo explícito no colégio. Não é normal e certo um troço desse. É nojento, asqueroso e libidinoso em um lugar de ensino. Doutrinadores estão transformando escolas em motéis.