Paulistanos e o “Efeito Serra”

Nova pesquisa Datafolha divulgada traz números interessantes sobre a popularidade de João Doria na cidade de São Paulo. No quesito avaliação de governo, com três meses de administração, a gestão de Doria é aprovada por 43% da população (44%, na pesquisa anterior). Enquanto para 33% é regular e para 20% é ruim ou péssimo. E para 4%, não sabe.

Mas o dado mais interessante é que o paulistano ainda tem calafrios com o “Efeito Serra”. Grande parte da rejeição ao nome de José Serra (não só em São Paulo) se deve aos abandonos de mandatos. Entre vários abandonos de cargos eletivos para assumir ou disputar cargos superiores no currículo de Serra, estão da prefeitura de São Paulo, em 2006, e do governo estadual paulista, em 2010.

55% dos paulistanos querem que Doria permaneça na prefeitura e que ele termine o mandato que o povo o concedeu com votação recorde (53% dos votos válidos no primeiro turno, feito inédito em 24 anos). Para 13%, o prefeito deveria sair para governador, 14% para presidente, e para 18%, não sabe. Um conjunto de 26% votaria nele para presidente, 32% para governador, mas 42% e 35%, respectivamente, não votariam em Doria nem para presidente, nem para governador.

Esta pesquisa é válida porque é feita na cidade que João Doria administra, são os munícipes dizendo que não gostariam que Doria repetisse o que, inúmeras vezes, fez José Serra. Mas não significa um ultimato e a última palavra da população de São Paulo, porque muitas águas vão rolar até 2018.

Anúncios