Ciro Gomes perde para própria língua

Entrevistas de Ciro Gomes sempre sai alguma polêmica de grande repercussão. Ciro é daqueles políticos suicidas, sem filtro na hora de criticar. Ultimamente está dando muitas entrevistas para fixar seu nome no rol de pré-candidatos a presidente.

Ex-deputado, prefeito, governador e ministro de Estado, Ciro Gomes já foi vítima da própria língua nas vezes que concorreu ao Palácio do Planalto. Mais precisamente e ultimamente em 2002, quando até liderou a disputa e terminou em quarto lugar. Na política só fica com Ciro quem é realmente fiel a pessoa dele porque ele não poupa nem os aliados. Aliados estes que viram ex-aliados em um piscar de olhos.

Roberto Jefferson, ex-aliado de Ciro Gomes, definiu o que é ser aliado de Ciro Gomes.

Mas Ciro está exagerando mais do que o normal dele no seu projeto de tentar pela terceira vez em ser presidente. E o maior exemplo é esta frase para o Brasil Post: “Mil vezes um Bolsonaro do que um enganador como o Doria”. A frase é de um absurdo que a gente pensa que é mentira.

João Doria está conquistando não só corações paulistanos como corações de brasileiros órfãos de uma política em naufrágio. Com um modelo de administrar diferente da velha política, o clamor para que Doria seja candidato a presidente surge pelos quatro cantos do país. E o João Doria tem mais preferências de voto nas pesquisas do que o próprio Ciro Gomes, que é um político bem conhecido nacionalmente diferente de Doria. Talvez seja um pouco de ciúmes da popularidade de Doria por parte de Ciro.

Desde que resolveu entrar na disputa de 2018, Ciro tenta atrair as esquerdas (inclusive a extrema) para sua candidatura. Mas com essas falas dele, não vai dar certo. No fim, vai ficar sem a esquerda que vai pular nos braços do Lula, sem os social-democratas e liberais moderados, culminando com mais um fiasco eleitoral presidencial.

Anúncios