MBL se envolveu em uma nova confusão com o pessoal do PT

Depois de um membro do movimento tentar gravar uma reunião que parecia ser secreta-sigilosa-segredo de Estado da bancada de vereadores do PT de São Paulo com o senador Lindbergh Farias (PT), a vereadora Juliana Cardoso (PT) entrou no plenário como uma louca histérica desequilibrada e partiu pra cima do vereador Fernando Holiday (DEM). Depois, Juliana foi na imprensa acusar Holiday de agressão. E a imprensa comprou a versão dela na maior cara de pau.

No vídeo (acima), uma pessoa grita sem constrangimento “falso negro”, para Holiday. O negro que não é de esquerda e não aceita se submeter a agenda deles vir automaticamente “traidor da causa”, um Capitão do Mato. Foi assim com Joaquim Barbosa no julgamento do mensalão. Mas isso a imprensa ignora.

Fernando Holiday teve calma e não fez o que a vereadora queria: ele agredir ela como reação. Fez bem. Como homem e, principalmente, como vereador que é. Se fosse eu possivelmente teria outra atitude. Não aceito ser agredido verbalmente e fisicamente por uma louca desequilibrada, ficar calado e sem reação natural só por ser mulher. Mulher que fala e bate como homem pode apanhar como homem. Direitos iguais, como pedem as feministas.

Anúncios