Rafaela Silva é fruto da política feita pelos cidadãos

Rafaela Silva-OURO

Confesso que não sou muito fã de jogos olímpicos e muito menos tenho sentimento nacionalista (não confundir com patriotismo). Mas fiquei arrepiado, emocionado com a conquista de Rafaela Silva. A primeira medalha de ouro do Brasil foi da judoca carioca e na sua cidade, no Rio de Janeiro. Mulher. Negra. Jovem. E da favela Cidade de Deus, uma comunidade das mais perigosas do Rio, que sofre com o abandono do poder público.

Depois de perder a chance de medalha em Londres 2012, Rafaela foi vítima da intolerância das redes sociais. Várias mensagens racistas para uma garota que representou o Brasil e perdeu. Vencer e perder são do esporte. A derrota em Londres foi importante para a vitória e consagração de Rafaela quatro anos depois, no seu país, na sua cidade. Rafaela não só ganhou uma medalha olímpica como foi campeã. É ouro! Ela agora faz parte do seleto grupo de brasileiros campeões olímpicos no judô e em todos os esportes na história das Olimpíadas.

Momento histórico para Rafaela e para todos os brasileiros da comunidade Cidade de Deus. Sim, há outros caminhos sem ser o do crime para quem mora em favelas e periferias. E não precisa ficar esperando os governos fazerem a sua obrigação de dar educação, saúde, cultura, lazer e saneamento básico para os moradores. Rafaela é fruto do projeto social do medalhista olímpico Flávio Canto, o Instituto Reação. Seja esportista, como Flávio Canto, artista ou um cidadão comum todos podem ter responsabilidade social. Rafaela é fruto da política de verdade, aquela feita sem os políticos, mas pelos cidadãos.

Mas sempre aparecem os oportunistas de plantão nessas horas. E não só os políticos. Gente que tenta ideologizar a conquista de Rafaela por ela ser mulher e negra. A vitória da Rafaela Silva é simbólica pela superação, mas não é de esquerda ou de direita. É dela, é do Brasil!

Rafaela Silva-emocao

Anúncios