Um sonho que virou pesadelo

presal_logoEssa tensão entre Arábia Saudita e Irã e a desvalorização do petróleo pelos sauditas trazem para o debate o quanto foi irresponsável a ilusão dos governos do Brasil com o pré-sal, a Copa e a Olimpíada.

Pré-sal: Um projeto megalomaníaco incentivado pelo governo federal e pelo governo do Rio de Janeiro. Agora os dois estão com dificuldade de fechar suas contas. Comprometeram o futuro do país por um negócio que nem existia e, tudo indica, não vai existir. E quem vai pagar essa conta é essa e a próxima geração.

O governo do Rio de Janeiro não tem dinheiro nem para manter os hospitais estaduais. Precisou o Ministério da Saúde intervir e a prefeitura do Rio fazer empréstimos ao governo estadual para os hospitais não fecharem as portas e o atendimento básico à população não ficar comprometido.

brasil-realidadeEm 2007 e 2009, quando o Brasil ganhou o direito de sediar a Copa do Mundo 2014 e a Olimpíada 2016, os que alertavam para a gastança sem freio e corrupção eram tachados de “chatos” e “pessimistas”. Os otimistas” lembravam-se de Barcelona 92 e o desenvolvimento da cidade graças aos jogos olímpicos, de Sydney 2000; enquanto os “pessimistas” lembravam-se de Atenas 2004 e o colapso grego alguns anos depois. Parece que os “pessimistas” estão levando essa.

slogansbrasilSempre fica para os “chatos” dos economistas ortodoxo-liberais a missão de alertar para o lado ruim de uma festa, a organização. Principalmente em uma organização de Copa do Mundo e Olimpíada. A maioria da população ficou embriagada com essas conquistas e o governo brasileiro injetou mais “bebida” nela, com um otimismo e nacionalismo que lembrou o “Ame-o ou deixe-o” da ditadura militar.

A verdade é que a Copa, Olimpíada e pré-sal foram usados como marketing por governos que só pensaram e pensam no calendário eleitoral. O legado propagado pelos governantes que esses eventos deixariam para população não passou de mais um conto do vigário. E nós, brasileiros, caímos novamente.

Anúncios