O povo (ricos e pobres) paga a conta da gastança

capa

Quem diz que o aumento de imposto só prejudica os ricos não sabe de economia, principalmente com esse sistema tributário brasileiro que a maior parte é em cima dos produtos, ou seja, os mais pobres são os mais afetados. Não precisa ser economista para saber disso. É só saber o mínimo de contas e logo se percebe que aumento de imposto cai nas costas dos mais pobres.

O governo esperava fazer o ajuste fiscal em 2015 e voltar com a agenda de investimentos e crescimento em 2016, a agenda positiva. Mas o ajuste do Ministro Joaquim Levy não funcionou, o Brasil teve a nota de crédito rebaixada pela agência S&P. Muito disso se deve ao boicote ao Levy, ele é um estranho no ninho cheio de desenvolvimentistas que não toleram as políticas neoliberais. Também o Congresso Nacional aprovando as chamadas “pautas bombas” (aumento de despesas).

Agora é preciso um corte no orçamento e aumento de impostos para a fechar a conta. A retomada do crescimento econômico vai demorar mais um pouco e mais desemprego vem por aí. O ajuste fiscal (ou “remédio amargo”) é inevitável. Imperdoável mesmo é lembrar que Dilma Rousseff negava necessidade de um ajuste fiscal na campanha eleitoral. Que os adversários que planejavam um forte ajuste na economia e na máquina administrativa, o que seria um retrocesso para o país.

O contribuinte, o povo, os mais pobres é quem irão pagar a conta da farra do boi de Dilma para ser reeleita e manter o PT no poder. Já estão pagando, na verdade.

Anúncios