Quem votou em Dilma não tem culpa

Ronaldo-oportunista

Não tem culpa que ela diz uma coisa e depois de eleita e empossada faz o oposto que foi dito na campanha eleitoral. Não tem culpa do agravamento da crise, da inflação, do dólar alto, das contas públicas desequilibradas, da corrupção na Petrobras e da briga do governo com o PMDB no Congresso. O voto é livre e a pessoa vota em quem desejar. Vota-se no candidato que tem afinidade com as nossas ideias e naquele candidato ou candidata que a gente acha que pode ser uma boa para a cidade, Estado ou para o País.

Vota-se também por rejeição a um candidato ou por protesto. É legítimo. Vota-se por uma classe, vota-se pelo povo, vota-se por um movimento social, vota-se por um sindicato de trabalhadores, vota-se pelos mais humildes e oprimidos, vota-se pela religião – apesar de que não é aconselhável misturar política com religião. O Estado é laico, mas está resguardado  na Constituição o direito da livre manifestação de todas as religiões. Todos os cidadãos maiores de idade em pleno gozo de suas faculdades mentais e direitos pode ser candidato independente de religião, cor e sexo.

8da516f78bc119d183f5a39fe0abd9b5Pode ser só pela zoeira, pela gozação, mas não é correto você jogar os erros de um governante nas costas dos eleitores dele. Não faz sentido os eleitores levarem a culpa por tudo de ruim que o candidato deles fizer de errado durante o mandato. Pode ser questionada a responsabilidade do voto, se o eleitor se informou antes de depositar seu voto no candidato eleito. Pode não, é um direito. Mas não jogar a culpar nos eleitores do(a) candidato(a) eleito(a) e fazer camisa com a frase “A culpa não é minha, eu votei no fulano” ou adesivos “Não tenho culpa, votei no sicrano”.

Isso é querer tirar o corpo fora quando todos os eleitos são representantes de todos e não só daqueles que votaram neles.

Anúncios