Direito e hipocrisia

MARTADizem que não existe mais anti-petista que um ex-petista. É óbvio que seja assim. Quem viu um partido se auto proclamar como “diferente” dos outros partidos e fazer as mesmas práticas sujas ou pior, destruir sonhos de várias gerações, ficar com o sentimento de revolta é natural.

Não sou fã da ex-prefeita de São Paulo e ex-ministra da cultura, Marta Suplicy, e claro que as críticas dela ao PT são exclusivamente visando a disputa pela prefeitura paulistana em 2016. Mas Marta foi alijada das principais decisões do PT, se sente descartada pela cúpula do partido que ajudou a crescer.

Marta faz duras críticas ao petismo, porém, deixando intocável a imagem imaculada de Lula. Como bem colocado no editorial do jornal Folha de São Paulo, se muitos desmandos agora a estarrecem a cada vez que abre um jornal, seria o caso de indagar por quanto tempo ficou sem ler a imprensa brasileira e quando voltou a fazê-lo.

Marta tem o direito de desabafar e procurar um novo caminho, um lugar que ela seja protagonista. Fica a pergunta se ela não poderia fazer isso sem esse carnaval e sem ser hipócrita.

Anúncios