Democracia, Política e o Poder do Voto

mesáriosSer convocado para trabalhar nas eleições para muitos cidadãos é quase como servir ao Exército. A obrigatoriedade da prestação do serviço, contestada por muitos, lhes dão essa falsa impressão. Um país que diz ter acordado, que diz querer políticos honestos, se nega ou vai de forma arrastada rumo às eleições como uma mera obrigação? Não faz sentido.

Nesse caso, a prestação de serviço poderia ser encarada como uma oportunidade de juntos abrirmos portas para que outros possam exercer seus direitos. Viver em sociedade tem seu lado difícil sim, pois não somos iguais, temos crenças, opiniões, e preferencias muito diferentes. Mas, por outro lado, podemos também encontrar pessoas semelhantes a nós, não em aspectos físicos, mas sim racionais em termos de ideias e pensamentos semelhantes, quando isso é entendido de forma clara fica mais nítido o real significado das eleições. Trata-se de acharmos um representante que seja semelhante a nós.

Fazer parte disso não só como eleitora, mas também como colaboradora é gratificante. Presenciar as mudanças políticas do país através do voto, da vontade do povo. São vários os fatores que movem a terra, o universo, dentre elas está à força de vontade do ser humano de ficar apenas em frente ao monitor de um computador fazendo críticas e dizendo como deveria ser a politica. Somos a geração coca cola. Temos que nos levantarmos e sair de casa e mostrar como se faz, propagar conhecimento e não apenas revolta, pois se o atual governo não nos representa, cabe a nós buscarmos outra opção.

Ter esperança, fé na politica é de crucial importância. Temos que acreditar que pode ser diferente caso contrário, aí sim será tudo sempre igual. Pensem quem sairá de casa com disposição para votar.

Vamos, Brasil! Acorda de novo e não volta a dormir desta vez.

As eleições têm que ser entendida como nosso megafone, nosso spray de pichação, faixas de revolta e insatisfação, nosso grito. Vamos mostrar que queremos votar consciente e sabendo que aquele político que durante a campanha tentou te comprar, será assim também durante seu mandato, caso eleito. Vamos nos unir para democracia como nos unimos para o futebol. Esse é o nosso jogo. Só entra em campo quem escalamos. Vamos em frente! Mas com cautela, pois serão mais quatro anos.

Patricia Almeida é estudante de Biomedicina da Faculdade Unidas Feira de Santana, sonhadora e dramática, sonha com um mundo melhor e, principalmente, um país melhor. Com três lindas paixões: família, tatoo e música. facebook.com/PatriaciaAlmeidaAlbuquerque

Anúncios