Mulher

mulher

Muito lentamente a desigualdade entre mulheres e homens vai diminuindo para dar lugar a uma sociedade mais justa e com oportunidades e direitos iguais. O Dia Internacional da Mulher é uma data que mostra que ainda existe um longo caminho pela frente. ​Mas n​ão sou a favor de datas comemorativas como Dia da Mulher, do Índio, do ​N​egro.

Dia de festejar as minorias, lembrar que elas existem e que a sociedade finge se importar com elas. Hipocrisia barata.​ Devo ser muito estranha, porque não gosto de receber parabéns pelo Dia da Mulher. Dá para imaginar eu dizendo a um amigo: “Parabéns, querido, pelo dia do Homem”, e ele gostar? Soa realmente muito esquisito.

Então chega o dia 8 de março e todos lembram que as mulheres são discriminadas, apanham de seus maridos/parceiros, ganham menos do que os homens (e trabalham mais do que eles porque ainda dão expediente em casa), mas merecem uma rosa, um chocolate…

Não, muito obrigada. Nem parabéns eu aceito. Respondo há anos que “sou espada”. É brincadeira, mas é uma forma de dizer que não quero um dia anual para me lembrar que sou mulher. Eu sei disso os 365 dias do ano. Quero mesmo é ser respeitada​!

Martha Esteves, 51 anos, 30 de profissão, jornalista, subeditora do caderno de esportes do jornal O Dia.

Anúncios