Os 33 anos do PT

Por Aloisio Villar

E o principal partido político do país, que está dez anos no poder completa 33 anos, a idade de Cristo.

O PT muito se transformou nesse período. Começou como um partido operário e com ligações com intelectuais de esquerda comandado por Luiz Inácio da Silva, que depois incorporou o Lula ao seu nome.

Lula foi um dos grandes líderes sindicais dos anos setenta. Liderou movimentos grevistas no ABC no fim dos anos setenta e por causa disso foi preso. Fundou o PT e foi deputado constituinte em 1986 e candidato a presidência da República em 1989.

O PT nesse período era bem diferente. Um partido mais de extrema esquerda que em alguns momentos lembrou o PSTU e em outros o PSOL, mais light, mas também combativo.

A juventude curtia o PT, os intelectuais também. A esquerda brasileira se dividia entre o PT e o PDT de Leonel Brizola, mas o desgaste que o político sofreu como governador do Rio acabou fazendo o PT virar o principal partido de esquerda não só do país como da América Latina.

Uma “onda vermelha” cheia de ideais, contra a velha oligarquia política tomou conta do país. Era a juventude podendo votar aos dezesseis anos, as pessoas que lutaram contra a ditadura militar finalmente podendo escolher seu presidente. Era o povo “sem medo de ser feliz” que fez Lula sair de baixo nas pesquisas e numa grande disputa ultrapassar Brizola e chegar ao segundo turno.

Enfrentou Fernando Collor de Mello no segundo turno daquela que foi a maior eleição que eu vi. Collor era jovem, bonito e ficou conhecido como “caçador de marajás” além de ter apoio do empresariado brasileiro e da Rede Globo. Numa disputa acirrada onde apareceram casos de tentativa de aborto, sequestros solucionados no dia da eleição com sequestrador aparecendo com blusa do PT e edição manipulada de debate pela Rede Globo Collor venceu.

E o PT fez uma oposição forte, acirrada, como sempre fez. Muito bateu em José Sarney, em Collor, depois em Fernando Henrique e Itamar aonde Lula chegou até a ofender uma vez chamando de fdp. O mesmo Lula que disse que tinha trezentos picaretas no congresso.

Dessa forma e com o apelo do Plano Real o PT perdeu as eleições presidenciais de 1994 e 1998 para o PSDB de Fernando Henrique Cardoso.

Até que o PT descobriu que teria que mudar algumas coisas para chegar ao poder. Mudou seu discurso para algo mais ameno, conquistou a confiança da classe mais rica e se aproveitando de um momento de fragilidade de FHC e do PSDB alcançou a presidência.

E seu governo desde então em pouco lembra o PT dos anos 80. Pra não dizer que não lembra em nada o partido procurou fortalecer o lado social. Criou projetos favorecendo os mais pobres, tirou muitos da linha da pobreza e no seu governo a expressão “classe C” ganhou evidência. Botou em prática fundamentos do velho PT.

Mas na parte política o PT se transformou tornando-se irreconhecível e lembrando em nada o partido que aglutinou a juventude. Fez alianças escabrosas com gente que sempre criticou ferozmente como José Sarney, Renan Calheiros, Paulo Maluf e o próprio Fernando Collor de Mello, tudo em nome da governabilidade.

Quase se afundou em um dos maiores escândalos de corrupção da história do país. O mensalão transformou em corruptos e condenados da justiça muitos daqueles que lutaram contra a ditadura militar arriscando suas vidas pelas ruas ou no Araguaia, com destaque para os Josés, Dirceu e Genoíno.

O escândalo da mesadinha para deputados nos fez ter dúvidas de quem era vilão e mocinho e quase fez ruir o governo Lula. O mesmo escapou por muito pouco de um impeachment e quase teve sua reeleição comprometida.

Mas o escândalo pode ter feito um bem ao PT e ao Brasil. Fatalmente se nada ocorresse o presidente do país hoje seria o José Dirceu, mas com tudo o que ocorreu tiveram que “inventar” a Dilma Rousseff.

O partido que elegeu o primeiro operário presidente da República também elegeu a primeira mulher e ela vem fazendo um grande governo.

O PT mudou muito ao longo dos anos como todos nós mudamos, é natural. Pouco restou daquele partido dos anos 80, mas foi com essas mudanças que ele conquistou a confiança da maior parte da população e se tornou o maior partido do Brasil.

Muitas coisas nele me incomodam, como essas alianças e os escândalos de corrupção, mas acredito realmente que mesmo com todos esses problemas seu tempo de governo fez o Brasil crescer. Não sei se o crescimento tem mais a ver com o crescimento do mundo como um todo, se começou lá atrás com o PSDB (e alguns méritos o partido tucano teve), mas é inegável que o Brasil é muito melhor hoje do que quando surgiu o PT.

E que o país continue crescendo, que nós tenhamos liberdade pra criticar o governo do PT, ou seja, lá qual for quando necessário e principalmente liberdade de escolha.

E que o aniversariante cuide bem de seu povo.

Anúncios